segunda-feira, 4 de abril de 2016

Lenovo Vibe K5 - O bom custo/beneficio ressurge das cinzas


Com um começo de 2016 difícil para o mercado mobile, com o fim da lei do bem e o aumento repentino do dólar, os aparelhos intermediários ficaram extremamente caros, onde o mais idolatrados deles, o Moto G, passou para casa dos 4 dígitos na sua versão mais completa, perante aos 700 ou 800 reais da versão mais completa do seu antecessor. Muitos aparelhos simples de apenas 8 GB de armazenamento (que se reduzia mais ainda pelo espaço ocupado pelo sistema), passou a custar por volta dos R$ 800,00. Com uma assentada do mercado e uma leve redução dos absurdos R$ 4,00 reais do dólar, alguns aparelhos interessantes passaram a surgir, mas nada o que se encontrava antes de custo/beneficio do ano passado.

Aos poucos as empresas buscaram trazer aparelhos que buscavam trazer o bom custo-beneficio de volta, como a Samsung com a linha J, que tinha configurações não tão boas, mas suficientes para usabilidade moderada e um design mais bonito para sua linha intermediária. A LG tinha a chance de trazer um bom aparelho com o K10, mas colocou tudo a perder ao trazer tristes 1GB de RAM para seu aparelho. O Quantum GO teve que ter seu preço elevado por causa do dólar e o Redmi 2 Pro parecia ser o melhor que teríamos para esse ano. Mas uma boa surpresa surgiu no fim do túnel: O Lenovo Vibe K5, trouxe um pouco de volta o custo-benefício que havia nos deixado. Para não ter que falar todas as configurações do aparelho deixo o link do site que fala todas elas aqui.


O que mais destacou no aparelho é que ele conseguiu trazer para o mercado nacional um aparelho com tela Full HD e processador Snapdragon 616, por menos de R$ 1.000,00 no seu preço de lançamento (ta 999 é um 1000 "bonitinho", mas relevemos) e isso com o dólar ainda bem elevado e com o fim da lei do bem, enquanto que no ano passado foram lançados aparelhos com essas configurações base por volta de R$ 1.200 a R$ 1.500,00 com a lei do bem ao lado deles e com o dólar mais manso. A Lenovo ou está sacrificando seu lucro para ganhar nome rápido no mercado nacional (e apagar logo o nome motorola do país) ou se mesmo com esse valor ela tem lucro no nosso mercado ela demonstra o quanto as outras fabricantes conseguem lucrar no nosso mercado por unidade vendida. Muitos podem falar que o acabamento do aparelho é mais simples para o aparelho conseguir esse preço, mas só isso não justifica.

Mesmo com um acabamento simples o aparelho tem sua beleza (muitos falam que foi chupado do Iphone, mas enfim), o tamanho de tela é o que considero ideal num aparelho (5 polegadas) e seu sistema de som é seu maior diferencial, pois conta com a tecnologia Dolby que trás mais qualidade. Talvez os seus pontos negativos seja a qualidade da câmera que é a mesma de muitos intermediários, não trazendo nada surpreendente, apenas dentro da média dos intermediários e outro pode ser a combinação tela Full HD e Snapdragon 616 que pode apresentar problema de desempenho para alguma tarefa que precisa de processamento gráfico, como algum jogo mais pesado ou algo do tipo.

Os seus concorrentes que vejo mais próximos de apresentar um bom custo-beneficio deste aparelho é um outro da própria Lenovo o Vibe A7010, que possui algumas configurações superiores (leitor de digital e 32GB de armazenamento), mas custando um pouco mais. E outro que pode concorrer em preço, mas um pouco elevado, com ele seria o Zenfone 2 na sua versão de 16GB.


Esse lançamento da Lenovo mostra que a empresa quer logo fazer seu nome no país e reacende a disputa nacional de aparelhos de bom custo/benefício.