sábado, 16 de janeiro de 2016

2016 - o ano para "NÃO" comprar/trocar de Smartphone

O final de 2015 marcou o final da época que era possível comprar um Smartphone "relativamente acessível" para o padrão brasileiro. Com o início de 2016 e o fim da isenção de impostos sobre eletrônicos se tornou muito mais caro comprar não só o smartphone, como outros aparelhos eletrônicos (notebooks, tablets, etc).

Neste começo de ano ainda é possível achar aparelhos com o preço antigo, mas os sites das fabricantes, como a Motorola e Asus já repassaram os novos valores para seus aparelhos onde até aparelhos intermediários, normalmente a faixa de melhor custo/beneficio, passar a casa dos 1.000 reais.

"À partir de R$ 1.038,00"

Vendo os novos valores e não vendo tão cedo uma mudança deste cenário que se formou em 2016 (política, impostos, crise, etc) é bem aconselhável que quem já tem um aparelho e queria trocar este ano que fique com o aparelho "velho" por mais um ano para ver como vai se desdobrar a economia nesta área em 2017.

Claro, eu não sou dono do bolso de ninguém e se você tiver dinheiro e quiser comprar um aparelho este ano esteja à vontade, mas só quero que você reflita que o que vai se pagar hoje será muito acima do que se pagava até metade/final do ano passado e que há mais chances que um pouco mais para frente a economia se estabilize e os preços fiquem mais acessíveis que hoje.



Mas se você precisa comprar ou quer comprar um aparelho este ano aproveitando mais seu dinheiro vou tentar dar algumas dicas (a maioria óbvia para quem sempre compra, mas pode ser útil para quem não está muito por dentro):

- Não compre um lançamento

No Brasil aparelhos são lançados com um preço um pouco acima do que a empresa espera vender o aparelho para aumentar os ganhos sobre os early adopters (termo para quem gosta de comprar coisas cedo/no lançamento) e depois de duas semanas a um mês o aparelho reduz o valor que devia custar. A exceção foi o inicio deste ano justamente pelo fim da isenção de imposto sobre aparelhos de até R$ 1.500,00, mas no geral o preço tende a descer um pouco depois de um tempo de lançamento do aparelho.

- Veja os top de linha do ano passado (Essa dica vale mais para quem tem um aparelho intermediário ou tinha um top mas ele quebrou ou foi roubado)

O aumento de imposto causou um certo fenômeno no mercado de Smartphones, onde os aparelhos intermediários deste ano estão com valores bem próximos e em alguns casos até maiores a de aparelhos topo de linha lançados no final de 2014 e inicio de 2015.

Mesmo sendo mais velhos, os topo de linha passados ainda tem um poder de processamento e qualidade de fotos melhores que os intermediários atuais. E se seu medo é ele ficar sem atualizações de fabricantes, é possível atualizar seu aparelhos com ROM's de terceiros, como o famoso CiamogenMod


- Consiga um dinheiro com o aparelho antigo (vulgo venda-o)

Muitos ao comprar um novo aparelho acabam passando o antigo para pai/mãe/tia/tio/esposo(a)/vó/etc, mas talvez para comprar um novo este ano você terá que vender o anterior para inteirar o dinheiro. Mesmo aparelhos usados intermediários de 2014 e 2015 ainda podem ser vendidos por valores bem interessantes e podem complementar o valor para comprar um aparelho melhor.

- Um aparelho de entrada pode segurar a onda este ano

Por mais que os aparelhos de entrada não sejam bons, em momentos que se está sem aparelho e a grana está curta, é melhor comprar um aparelho barato do que criar uma dívida de várias prestações em intermediários/topo de linha. Os aparelhos de até R$500,00 que fazem parte desta faixa de preço já não são tão ruins quanto alguns anos atrás quando tínhamos aparelhos horrorosos como "Galaxys Ypisolon" da vida. Nessa faixa de preço é possível encontrar aparelhos com pelo menos 8GB de armazenamento e 1GB de RAM que são o suficiente para o aparelho rodar sem muitos engasgos e um bom espaço para instalar alguns aplicativos do dia-a-dia.