terça-feira, 7 de junho de 2016

Mercado mobile mais caro

Nos últimos lançamentos de aparelhos no Brasil nesta última semana, a LG apresentou uma versão do seu topo de linha, o G5, numa versão mais simples (processador mais fraco e menos RAM), onde muitos esperavam que isso se refletisse num menor preço, mas foi exatamente o contrário, tanto o aparelho (R$ 3.499) quanto os seus acessórios (a partir de R$599) apresentaram preços bem elevados, sendo até mais caro que o novo Iphone SE lançado pela Apple a um tempo atrás no mercado nacional.


Outra empresa que assustou de forma negativa foi a Sony, com o vazamento dos valores dos Xperia X e Xperia XA, com preços absurdos de R$ 1.899 pelo mais fraco e o preço de R$ 3.799 pela melhor deles. Mas mesmo a versão melhor ela não trás o melhor que a Sony pode oferecer, pois seu processador é apenas o Snapdragon 650. A versão Xperia X Ultra, que trás o que tem de melhor em hardware, não teve seu preço vazado
A Sony falou que o preço não é oficial, mas que irá divulgar os preços de lançamento num evento para o dia 9 de Junho. Mais sobre nessa matéria do Techtudo.
O site do Ponto Frio também já tirou o aparelho a listagem, devendo agora libera-lo novamente apenas dia 9 novamente.


Bem a discussão aqui nem é sobre os preços das empresas serem oficiais, mas o porque de adotarem preços elevados por seus lançamentos que nem mesmo trazem o melhor do hardware do mercado.

O Mercado Brasileiro está em crise e as vendas dos eletrônicos e principalmente o de Smartphones está em queda. O primeiro trimestre em comparação ao ano passado teve uma queda de cerca de 25% nas vendas de aparelhos. Por mais que o preço médio de aparelhos tenha subido, ainda existem opções em lojas, mesmo físicas, de aparelhos de faixas de preço mais baixo que são acessíveis ao grande público.

Por mais que eu e você que basicamente entende de tecnologia e sabe as vantagens e desvantagens dos aparelhos à venda no mercado, o grande público não sabe ponderar as diferenças e estudar os melhores custo/benefício do mercado, ele apenas compra o que couber no orçamento ou o que achou mais bonito na vitrine, vendo como funciona o aparelho no seu dia-a-dia depois, talvez tendo uma ou outra exceção quando a pessoa pede pro amigo que entende de tecnologia sugerir um aparelho para ela, mas no geral o publico vai comprar prezando mais a aparência e se cabe no orçamento.

Pois bem, mesmo nesses aumentos de preço ainda existem aparelhos que alguém menos afortunado pode comprar um Smartphone que funcione mais ou menos ou que atenda de forma minimamente satisfatório, mesmo em lojas físicas que precisam aumentar o valor para maior margem de lucro para pagamento de salário de funcionários, aluguel do local e manutenção da loja entre outros, é possível achar aparelhos baratos, mas as pessoas simplesmente não tem dinheiro para fazer esse tipo de compra, ou estão dando prioridade a outros produtos que não Smartphones.

Vendo essa situação que mesmo com oferta de produtos, um pouco piores, mas ainda acessíveis ao público com menor poder aquisitivo não está dando retorno de venda, as empresas chegam num limite que ela vê viável continuar disputando o custo/benefício com a concorrente ou de pegar o público que tem pouco poder aquisitivo. Quando a economia vai bem e as pessoas tem um forte poder de compra as empresas veem que pode tentar aumentar os lucros com a venda de aparelhos mais em conta para o público mais humilde, apostando em uma margem de lucro menor por unidade, mas com um maior volume de vendas e com isso rodando mais dinheiro e popularizando a marca.


Mas com um menor volume de vendas, mesmo com certo esforço na redução de preço dos produtos mais acessíveis, as empresas não veem motivo para manter a estratégia e voltam a apostar no mercado de quem pode pagar mais, apostando no lucro maior por unidade vendida. A Apple se tornou extremamente famosa por conta disso, consegue ter uma boa margem de lucro por cada um de seus aparelhos e ainda consegue manter um bom volume de venda. Isso pode ser visto no caso que ela vende bem menos aparelhos que a Samsung, mas seu lucro no setor é muito maior que a coreana.

A vantagem deste tipo de estratégia é que a empresa pode reduzir o volume de produção de aparelhos, em muitos casos pode até enxugar seu portfólio reduzindo times de produção e pesquisa de aparelhos, e com um volume menor, apresenta menos problemas que irão lotar seu setor de manutenção, marketing é mais direcionado a menor variedade de produtos e se bem conduzido a estratégia a marca ganha fama de confiável e vale o que se cobra.

Nos casos das fabricantes de Smartphones no Brasil, a LG e a Sony já são mais famosas do pública casual por causa de seus outros produtos no caso da LG dos seus Notebooks e televisores e a Sony dos seus aparelhos de som e o Playstation, tendo assim seus nomes na cabeça do consumidor brasileiro quando este pensa em qualidade. Então muitos do que tem dinheiro e não querem mais investir muito em um novo Iphone podem ver a LG e a SONY como marcas interessantes, caso não gostem muito dos aparelhos da Samsung, se tornando o acesso a um produto "mais barato" para eles. Até muitos que não tem tando dinheiro, mas podem parcelar podem ver esses produtos como mais acessíveis e que caibam nas parcelas ao invés do Iphone.

As outras marcas que não tem seu nome forte em outras frentes populares, como a Asus (que é forte entre geeks e fãs de tecnologia, não o público casual), BLU, Alcatel e Motorola/Lenovo devem continuar trazendo aparelhos um pouco mais abaixo desta faixa de preços, mas veêm mercado menos disputado no melhor custo/benefício e podem também elevar o lucro pela unidade vendida.


O mercado dificilmente vai voltar para o que era em 2014/2015, onde a disputa de custo/benefício era alta, os preços eram mais acessíveis, e os lançamentos eram constantes. Agora é esperado um mercado com menos concorrentes, pouca variedade de produtos e a busca de ter um lucro por unidade maior pelas fabricantes e menos produtos acessíveis por esse nicho estar sem dinheiro e diminuto e os que já compraram nesse nicho buscam o próximo aparelho mais completo.

domingo, 5 de junho de 2016

Nova Família Asus - Zenfone 3

Asus lançou na Computex 2016 entre outros aparelhos, a sua nova familia de aparelhos zenfone, agora chamados de Zenfone 3. Todos apresenta uma aparencia premmium, porém por um valor menor que os seus concorrentes.

Uma das principais novidades foi a adoção de metal e vidro na carcaça dos novos aparelhos, ao contrário do plástico da geração anterior, e a substituição dos processadores intel por processadores Snapdragon, desde o 625 para sua versão mais simples, até o poderoso 820 para o mais top das versões do aparelho.

Por falar em versões, é isso mesmo, a empresa apresentou 3 versões do aparelho. O Zenfone 3 comum, que será o mais barato, o Ultra para consumo de conteúdo e o Deluxe como o mais poderoso dos 3. (meu Deus quanto 3 nessa frase)

Como sempre eu nunca listo as expecificações dos aparelhos no blog, prefiro linkar para o site do fabricante ou para outro site que tenha listado as especificações: Zenfone 3, Zenfone 3 Ultra, Zenfone 3 Deluxe.

Asus Zenfone 3 ZE552KL
MORE PICTURES

O Zenfone 3 continua com o legado da Asus e ter um topo de linha com aparência premium, porém acessível a um maior número de pessoas. Ele mantém as dimensões e resolução da tela, mas trocou o processador top da Intel por um intermediário da Qualcomm, pois a Intel está saindo da área de processadores para mobile e para manter a acessibilidade da linha a Asus se viu obrigada a pegar um processador mais simples para manter a faixa de preço. No final das contas, olhando as configurações mais completas deste Zenfone, ele é bem equivalente a versão anterior. Ele pode ter perdido um pouco o poder de processamento, mas tem chances de ter ganho uma maior autonomia de bateria, um melhor acabamento e maior compatibilidade com os aplicativos da Play Store por causa do novo processador.

Para o mercado brasileiro eu aposto que a Asus vá coloca-lo na mesma faixa de preço dos novos Moto G da Motorola, por volta de R$ 1.200 e R$ 1.600 ou até mesmo um pouco menos para ter vantagem no custo/benefício, já que ambos os aparelhos possuem basicamente as mesmas configurações.

Asus Zenfone 3 Ultra ZU680KL
MORE PICTURES

O Zenfone 3 Ultra deu um susto inicial ao vê-lo, 6.8" de tela é uma coisa bem absurda, mas esse aparelho foi feito mesmo para ser mais um mini-tablet para consumir conteúdo do que um Smartphone em si. A função de ligação está lá, mas quem comprar esse aparelho vai estar atrás apenas da conectividade 3G/4G para jogos, leitura e redes sociais. Já faz um tempo que a função de telefone portátil está sendo deixado de lado nos Smartphones, muitos estão conversando por mensageiros e redes sociais e usando o aparelho para outras tarefas e entretenimentos. O aparelho, claro, não é para carregar no bolso da calça, será interessante para quem anda sempre de mochila ou para as mulheres que sempre vão de bolsa para todos os lugares.

No Brasil acredito que ele possa ser lançado, mas não espero nada a menos de R$ 2.000,00 já que ele é para ser o computador portátil que faz ligação para muita gente que passa o dia fora. Deve ser o único que vá adotar essa postura de Smartphone que também pode ser um tablet no país, que apesar de ser uma tendencia nos mercados asiáticos principalmente na China, não sei até que ponto as pessoas estão dispostas a ter um Smartphone de tamanho bem exagerado no país.

Asus Zenfone 3 Deluxe ZS570KL
MORE PICTURES

O Zenfone 3 Deluxe é o verdadeiro topo de linha da empresa, trazendo uma tela de 5.7" e o melhor hardware disponível no mercado atual. Destacando o Processador Snapdragon 820 e o até 6GB de RAM, o colocam um pouco acima dos lançamentos das outras empresas no quesito hardware. Muitos esperavam a resolução 2K de tela, mas a Asus preferiu manter o FULL HD, o que na minha opinião foi algo acertado, para não aumentar o gasto desnecessário com bateria e seu custo de produção para algo que teria pouco à acrescentar ao usuário. O aparelho mantém o tamanho grande, que é o que mais vende no mercado asiático atualmente, porém é menor que o modelo Ultra.

Não espero ver ele por menos de R$ 3.000 no mercado nacional e ele deve se posicionar numa disputa direta com a Apple e Samsung pelo mercado topo de linha. Será um Smartphone para poucos que briga para fazer parte da faixa de preço que dá uma maior margem de lucro para as fabricantes.



No geral os 3 aparelhos da Asus apostam em uma grande gama de preços para os mais variados usuários, apostam na tela grande para principalmente consumir conteúdo e com o seu modelo mais completo se posicionar direto na disputa contra a Apple e Samsung pelo mercado Premium.

Lançamento de Smartphone TP-Link

Meio que "na surdina", a empressa TP-LINK (famosa pelos roteadores e rede wi-fi doméstica), lançou um novo aparelho no Brasil o Neffos C5, um aparelho com configurações intermediárias e com um preço de lançamento excelente (R$ 699,00 na Kabum com uma bank de brinde).


Ele possui um hardware bem equilibrado, configurações aqui, e trás um bom preço pelo que oferece. Não é um primor de Smartphone, mas em teoria suas configurações o permitem ter uma boa performance pelo que é cobrado.


A TP-LINK já tinha apresentado este aparelho junto de outros dois no começo do ano na CES, mas só agora ele deu as caras no Brasil, é a estreia da empresa no mercado mobile no país, que atualmente está em retração. Apesar de ser um momento ruim para entrar no mercado nacional, o preço agressivo pelo que é oferecido pode ser um forte chamariz para quem não pode gastar muito neste momento mas quer ter um bom aparelho para o dia-a-dia.

terça-feira, 17 de maio de 2016

Os Novos Moto G4 (2016)

A Lenovo apresentou ao mundo hoje (dia 17/05) a nova geração de aparelhos da Motorola da Linha Moto G, sendo chamados respectivamente, Moto G4 Play, Moto G4 e Moto G4 Plus.

Configurações do Moto G4 Play, Moto G4 e Moto G4 Plus (imagem retirada de ANDROIDPIT)

Nas minhas postagens eu procuro não debater as configurações dos aparelhos, procuro mais debater mais o que esperar dos produtos no mercado e seus possíveis concorrentes, acredito que reviews em vídeo no youtube ou artigos de alguém que utilizou o aparelho por alguns dias são mais enriquecedores do que os palpites de alguém que tem poucas chances de testar e ver o uso real do aparelho no dia-a-dia.

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Papagaios dos comentários dos sites de tecnologia #1

Reproduzindo as clássicas frases de papagaio ditas praticamente todos os dias nos sites de tecnologia:





Lenovo Vibe K5 - O bom custo/beneficio ressurge das cinzas


Com um começo de 2016 difícil para o mercado mobile, com o fim da lei do bem e o aumento repentino do dólar, os aparelhos intermediários ficaram extremamente caros, onde o mais idolatrados deles, o Moto G, passou para casa dos 4 dígitos na sua versão mais completa, perante aos 700 ou 800 reais da versão mais completa do seu antecessor. Muitos aparelhos simples de apenas 8 GB de armazenamento (que se reduzia mais ainda pelo espaço ocupado pelo sistema), passou a custar por volta dos R$ 800,00. Com uma assentada do mercado e uma leve redução dos absurdos R$ 4,00 reais do dólar, alguns aparelhos interessantes passaram a surgir, mas nada o que se encontrava antes de custo/beneficio do ano passado.

Aos poucos as empresas buscaram trazer aparelhos que buscavam trazer o bom custo-beneficio de volta, como a Samsung com a linha J, que tinha configurações não tão boas, mas suficientes para usabilidade moderada e um design mais bonito para sua linha intermediária. A LG tinha a chance de trazer um bom aparelho com o K10, mas colocou tudo a perder ao trazer tristes 1GB de RAM para seu aparelho. O Quantum GO teve que ter seu preço elevado por causa do dólar e o Redmi 2 Pro parecia ser o melhor que teríamos para esse ano. Mas uma boa surpresa surgiu no fim do túnel: O Lenovo Vibe K5, trouxe um pouco de volta o custo-benefício que havia nos deixado. Para não ter que falar todas as configurações do aparelho deixo o link do site que fala todas elas aqui.


O que mais destacou no aparelho é que ele conseguiu trazer para o mercado nacional um aparelho com tela Full HD e processador Snapdragon 616, por menos de R$ 1.000,00 no seu preço de lançamento (ta 999 é um 1000 "bonitinho", mas relevemos) e isso com o dólar ainda bem elevado e com o fim da lei do bem, enquanto que no ano passado foram lançados aparelhos com essas configurações base por volta de R$ 1.200 a R$ 1.500,00 com a lei do bem ao lado deles e com o dólar mais manso. A Lenovo ou está sacrificando seu lucro para ganhar nome rápido no mercado nacional (e apagar logo o nome motorola do país) ou se mesmo com esse valor ela tem lucro no nosso mercado ela demonstra o quanto as outras fabricantes conseguem lucrar no nosso mercado por unidade vendida. Muitos podem falar que o acabamento do aparelho é mais simples para o aparelho conseguir esse preço, mas só isso não justifica.

Mesmo com um acabamento simples o aparelho tem sua beleza (muitos falam que foi chupado do Iphone, mas enfim), o tamanho de tela é o que considero ideal num aparelho (5 polegadas) e seu sistema de som é seu maior diferencial, pois conta com a tecnologia Dolby que trás mais qualidade. Talvez os seus pontos negativos seja a qualidade da câmera que é a mesma de muitos intermediários, não trazendo nada surpreendente, apenas dentro da média dos intermediários e outro pode ser a combinação tela Full HD e Snapdragon 616 que pode apresentar problema de desempenho para alguma tarefa que precisa de processamento gráfico, como algum jogo mais pesado ou algo do tipo.

Os seus concorrentes que vejo mais próximos de apresentar um bom custo-beneficio deste aparelho é um outro da própria Lenovo o Vibe A7010, que possui algumas configurações superiores (leitor de digital e 32GB de armazenamento), mas custando um pouco mais. E outro que pode concorrer em preço, mas um pouco elevado, com ele seria o Zenfone 2 na sua versão de 16GB.


Esse lançamento da Lenovo mostra que a empresa quer logo fazer seu nome no país e reacende a disputa nacional de aparelhos de bom custo/benefício.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Resumo do que Gostei da MWC 2016 - 4º dia

Encerrando as minhas postagens sobre os produtos apresentados na MWC e foram divulgados nos sites e outros meios que falam de tecnologia, onde trago algumas informações sobre o produto e faço comentários simples sobre eles no final.

Xiaomi Mi 4S
Configurações:
  • Tela de 5 polegadas, usando a resolução Full HD (1920 x 1080 pixels) para a exibição de conteúdo
  • 3 GB de RAM
  • 64 GB de memória para o armazenamento interno, podendo ser expandida via cartão microSD
  • Chipset Qualcomm Snapdragon 808, feito em arquitetura de 64-bit
  • Processador de seis núcleos, cada um deles rodando a 1,8 GHz
  • Adreno 418 como placa gráfica
  • Câmera principal de 13 megapixels, com autofoco em detecção de fase
  • Câmera frontal de 5 megapixels
  • Suporte ao uso simultâneo de dois chips de operadora (dual-SIM)
  • Acesso às redes 4G LTE
  • Apenas 7,8 milímetros de espessura
  • Peso de 133 gramas
  • Padrão USB Type-C
  • Bateria de 3.260 mAh
  • Android 6.0 Marshmallow como sistema operacional, modificado pela interface própria da Xiaomi, MIUI
  • Preço US$ 260
A Xiaomi apresentou uma segunda versão do seu antigo topo de linha, com um leve update de hardware muito bom, apesar de não ser o melhor da atualidade. O conjunto é de respeito e deve atender a maior arte dos usuários. talvez o que deve ter mais chamado atenção é mesmo o seu preço, que em conversão direta ficaria um pouco acima dos R$ 1.000,00 reais. Acredito que a empresa resolveu lançar uma segunda versão do seu antigo topo de linha para continuar aproveitando a boa otimização da linha de produção, tendo apenas mudanças pontuais em seu hardware.


Xiaomi Mi5 Standard, High, Exclusive
Xiaomi Mi 5 MORE PICTURES
Configurações:
  • Tela de 5,15 polegadas, usando a resolução Full HD (1920 x 1080 pixels) para a reprodução de conteúdo
  • RAM Standard: 3 GB. RAM High: 3 GB. RAM Exclusive: 4 GB.
  • Espaço nativo Standard: 32 GB. Espaço nativo High: 64 GB. Espaço nativo Exclusive: 128 GB.
  • Sem entrada para cartão microSD
  • Suporte ao uso simultâneo de dois chips de operadora (dual-SIM)
  • Chipset Qualcomm Snapdragon 820, incluindo processador de oito núcleos
  • Processador Standard: 1,8 GHz. Processador High: 2,15 GHz. Processador Exclusive: 2,15 GHz.
  • Adreno 530 como placa gráfica.
  • Câmera principal de 16 megapixels, incluindo estabilização ótica de imagem e gravação em 4K
  • Câmera frontal de 4 megapixels, portando sensor de 2,0 mícron
  • Dimensões de 144,5 x 69,2 x 7,25 milímetros
  • Peso de 129 gramas
  • Padrão USB Type-C
  • Bateria de 3.000 mAh
  • Android 6.0 Marshmallow como sistema operacional, modificado pela interface própria da Xiaomi, MIUI
  • Preço: US$ 306 (Standard); US$ 352 (High); US$ 413 (Exclusive)

Gostei do que a Xiaomi fez com seu novo topo de linha. As três versões trazem leve diferenças no hardware, mas faz a diferença de preço entre os mais simples e o mais completo ser mais de US$ 100, e um usuário que não precisa de tanto poder de fogo pode economizar um bom valor e ainda ter um bom aparelho em mãos. O Design do aparelho apesar de ser "inspirado" em concorrentes é muito bonito e bem refinado.

Muitos podem ver como ruim ter deixado "apenas" em Full HD a tela do aparelho, mas eu vejo como um ponto positivo, pois com isso a empresa não sobrecarrega o processador com renderização e torna-o mais rápido para realizar as tarefas. E convenhamos, não faria muita diferença para o usuário se a tela fosse 2K, pelo contrário, poderia até trazer complicações, como falei em outra postagem.

Talvez o ponto negativo que daria para este aparelho é a falta de entrada Micro SD, mas como o mais básico já possui 32GB de armazenamento, talvez não seja tão negativo assim ter perdido esta opção.


-------
Locais de onde tirei as imagens dos produtos e informações de configuração:

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Resumo do que Gostei da MWC 2016 - 3º dia

Continuando minhas postagens sobre os produtos apresentados na MWC2016, vou falar de mais alguns produtos apresentados neste terceiro dia e talvez de alguns apresentados no dia anterior que possam ter passado em branco:

Aquaris M10 Ubuntu Edition

As especificações:
  • Tela capacitivo Full HD de 10,1 polegadas multitátil em 10 pontos
  • Bateria de 7280 mAh.
  • Processador MediaTek Quad-core MT8163A até 1,5 GHz e um processador gráfico Mali-T720 MP2 até 600 MHz
  • Com 8,2 mm de espessura
  • 470 g de peso
Assim como gosto de novas fabricantes que apostam no Windows para Smartphones, eu também adoro quando outras empresas procura investir no Ubuntu para novos mercados, como o de Tablets. Esse tablet seria um tipo de Surface do Ubuntu, aparenta ter uma boa configuração para trabalhos simples de escritório e navegação Web. Tem boas possibilidades de ter um preço acessível o que pode ser uma boa forma de atrair usuários para um sistema diferente.


ZTE Spro Plus
Configurações:
  • Dimensões: 228,8 x 150 x 24,8 mm
  • Bateria: 12.100 mAh
  • Tela: 8,4’’ 2K AMOLED
  • Projeção: 500lm WXGA DLP+ ALPD(Laser phosphor),Auto Keystone (Horizontal + Vertical), 1.4:1 (80”@2.4m)
  • SO: Android 4.4 KitKat
  • RAM: 3 GB
  • Armazenamento: 32 ou 128 GB + espaço para cartões de até 2 TB
  • Áudio 2x4W JBL com Dolby Audio e 3 microfones
  • Conectividade: WIFI b/g/n/ac (2.4GHz/5GHz), Bluetooth 4.1 LE, GPS/AGPS/SUPL e 4G (somente no modelo 4G)
  • Extras: Caneta Stylus infravermelho, controle para games, bolsa e tripé especiais

Um aparelho hibrido de entre tablet e um projetor, ele realmente se destaca por ser um único aparelho onde se pode preparar e projetar suas apresentações. O conceito é bem interessante, mas seu uso pode ser reduzido apenas para profissionais que precisa fazer diversas apresentações de algum portfólio de produtos/dados da empresa ou de professores que gostam de ilustrar bem suas matérias.


Panasonic Toughpad FZ-F1
Configurações:
  • Tela de 4,7" com resolução HD (720x1280)
  • Processor Snapdragon 801de 2.3GHz quad-core
  • Camera Frontal de 5 megapixel
  • RAM de 2GB
  • Sistema operacional Windows 10 Mobile
  • Armazenamento de 16GB
  • Camera traseira de 8 megapixel
  • Bateria de 3200mAh
Tablet hiper-resistente da Panasonic, para uso indústrial que utiliza Windows 10. Realmente não é para o usuário final, mas ele trás bons recursos e a resistencia necessária para usar o aparelho em situações extremas, como uma bateria maior e até mesmo um leitor de código de barras opcional, dando uma boa versatilidade de usos deste tipo de produto na indústria e comércio.


Alcatel Plus 10
ALCATEL PLUS 10
Outro aparelho 2 em 1 inspirado na linha Surface, mas que trás um hardware mais modesto e acessível:
  • Tela HD IPS de 10.1” (1280×800)
  • 32 GB de memória interna
  • 2 GB de RAM
  • Suporte para cartão MicroSD de até 64 GB
  • Battery: 5830 mAh (tablet) + 2580 mAh (Keyboard)
  • Câmera principal de 5MP
  • Camera frontal de 2MP
  • Wi-Fi 802.11 b/g/n e Bluetooth 4.0
  • 259.3 x 156.2 x 8.35 mm
  • Conectividade 4G com a possibilidade de atuar como hotspot para até 15 equipamentos
  • Portas USB, Micro USB e saída HDMI
Um ponto positivo deste hardware mais modesto é que possivelmente ele será um hibrido mais acessível, e não deverá deixar nada a desejar para quem tem um uso mais moderado do computador, usando mais para trabalho de escritório e redes sociais e além de vídeos e alguns jogos mais simples. Seu outro diferencial é a possibilidade de usar conectividade 4G podendo ainda ser um hotspot para outros 15 equipamentos, possibilidade de conectividade rara de se ver em tablets.


Obi MV1
Configurações:
  • Tela: LED IPS 5 polegadas com proteção Corning Gorilla Glass 3
  • Resolução de tela: HD (1280x720 pixels)
  • Densidade de pixels: 294 ppi
  • Sistema operacional: Android 5.1 (Lollipop) com interface Obi Lifespeed (Cyanogen OS 12.1.1 opcional)
  • Processador: Qualcomm Snapdragon 212 quad-core de 1,3 GHz
  • GPU: Adreno 304
  • Memória RAM: 1 GB (2 GB opcional)
  • Armazenamento interno: 16 GB
  • Armazenamento externo: cartões micro SD de até 64 GB
  • Câmera traseira: 8 MP OmniVision OV8865 com foco automático e flash LED
  • Câmera frontal: 2 MP
  • Gravação de vídeo: 1080p a 30 fps
  • Conectividade: 4G LTE, Bluetooth 4.1, WiFi 802.11 b/g/n, porta micro USB 2.0
  • Bateria: 2.500 mAh Li-ion para até 10 dias em stand by, 3 horas de conversação, 6 horas de navegação online, 28 horas de reprodução de música ou 8 horas de reprodução de vídeo
  • Peso: 149 g
  • Dimensões: 7,26 cm de largura x 14,56 cm de altura x 0,895 cm de espessura
  • Suporte a Dual-SIM
  • Cores disponíveis: preto, branco, vermelho
  • Preço: US$ 149

Aparelho criado especialmente para ser acessível em mercados emergentes, mas sem perder a beleza estética de um intermediário ou topo de linha. Mesmo sendo de entrada ele trás configurações bem interessantes, principalmente o armazenamento interno de 16GB que é um bom diferencial frente aos outros aparelhos de apenas 8GB que existem no mercado. Tem grande chance de se destacar nas prateleiras, dependendo apenas do quanto a fabricante irá investir na sua divulgação.


MADOSMA Q601
Configurações:
  • Tela de 6 polegadas com resolução Full HD (1080 x 1920 pixels)
  • Chipset Qualcomm MSM8952 Snapdragon 617 64-bit Octa Core com clock máximo em 1,5GHz
  • GPU Adreno 405
  • 3GB de RAM
  • 32GB de espaço para armazenamento interno, expansível via cartão microSD
  • Câmera principal de 13 megapixels com abertura f/2.0 e flash LED
  • Câmera frontal de 5 megapixels com abertura f/2.2
  • USB Type-C
  • 4G LTE
  • Bateria de 3.900mAh
  • Dimensões de 160 x 82.3 x 7.9mm e 176 gramas
  • Windows 10 Mobile

Mais um aparelho de 6" com Windows 10 Mobile, mas diferente do parrudo da HP do primeiro dia, este aqui apresenta um Hardware "um pouco mais humilde", mas que ainda poderá executar o modo Continuum ao ser conectado a uma TV/Monitor. Parece que as fabricantes que estão apostando no Windows 10 Mobile vão tentar aproveitar ao máximo deste recurso para promover seus produtos. O aparelho é bem sóbrio, e deve ganhar destaque pelo preço mais acessível que o aparelho da HP.

Meizu Pro 5 Ubuntu Edition
Configurações:
  • Tela AMOLED de 5.7 polegadas e resolução de 1080p
  • Sensor de leitura biométrica.
  • Processador Exynos 7420 (O mesmo que encontramos no Galaxy S6)
  • Câmera traseira de 21,16 megapixels
  • 32GB de memória interna
  • 3GB de memória RAM
  • Bateria Li-Ion de 3050mAh

Adoro estas novas possibilidades quando surge um aparelho com novo sistema operacional, mesmo que este novo é o Ubuntu para Smartphones. Um novo sistema sempre abre novas possibilidades para o mercado e para os usuários e ter esse sistema num aparelho de boas configurações é um bom sinal de aposta por parte da Meizu. Espero que a Canonical consiga continuar com o projeto do Ubuntu para Smartphones e seja mais uma força que peite os outros grandes players do mercado.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Resumo do que Gostei da MWC 2016 - 2º dia

Continuando a postagem sobre os produtos apresentados na MWC 2016.
Aqui irei falar do que foi apresentado no segundo dia de evento e foi divulgado nos grandes portais de notícia de tecnologia e tecerei alguns comentários do que achei dos produtos e/ou estratégia que eu acredito que a empresa quer com o produto.

Sony Xperia X, XA (single e dual), X Performed


Enquanto eu achava que a Sony já seguiria sua cartilha de apresentar a nova geração da linha Z semestralmente, ela surpreende e mostra uma nova linha que tem bons atrativos. Ficamos primeiro com as configurações:

Sony Xperia X MORE PICTURES
Xperia X
  • Tela de 5 polegadas com resolução Full HD
  • Chipset Snapdragon 650
  • 3GB de RAM
  • Câmera traseira de 23 megapixels e frontal de 13
  • 32GB de armazenamento na versão single-SIM e 64GB na Dual-SIM
  • Entrada para cartão microSD
  • Leitor de impressão digital no botão Home
  • Bateria de 2620mAh
  • Android 6 Marshmallow
  • Dimensões: 142.7 x 69.4 x 7.9 mm
  • Peso: 153 gramas

Sony Xperia XA MORE PICTURES
Xperia XA, XA dual
  • Tela de 5 polegadas com resolução 720p
  • Chipset MediaTek MT6755
  • 2GB de RAM
  • Cãmera traseira de 13 megapixels e frontal de 8
  • 16GB de armazenamento interno
  • Entrada para cartão microSD
  • Bateria de 2300mAh
  • Android 6 Marshmallow
  • Dimensões: 143.6 x 66.8 x 7.9 mm
  • Peso: 137,4 gramas

Sony Xperia X Performance MORE PICTURES
Xperia X Performed
  • Tela de 5 polegadas com resolução Full HD
  • Chipset Snapdragon 820
  • 3GB de RAM
  • Câmera traseira de 23 megapixels e frontal de 13
  • 32GB de armazenamento na versão single-SIM e 64GB na Dual-SIM
  • Entrada para cartão microSD
  • Leitor de impressão digital no botão Home
  • Bateria de 2700mAh
  • Android 6 Marshmallow

  • Dimensões: 144.8 x 71.1 x 7.6 mm
  • Peso: 165 gramas
A surpresa da Sony, como falado inicialmente, foi ela não ter lançado uma nova geração da sua linha Xperia Z, mas ter criado uma linha totalmente nova, onde os 3 aparelhos possuem um belo conjunto de configuração, de acordo com o nicho que eles pretendem atingir. Se a Sony não acabou com sua linha Z, é bem provável que agora ela faça essas duas linhas em paralelo, para o seu publico não fique triste que o topo de linha que eles compraram se tornou obsoleto em apenas 6 meses, próximo do que a Samsung faz com o Galaxy da linha S e da linha Note.

A linha performed é para os que gostam de boas configurações e querem o melhor da tecnologia, o X é para aqueles que não ligam para as melhores configurações, mas querem um telefone equilibrado e de bom uso. e o XA apenas para quem quer um bom aparelho sem gastar muito (apesar que, pelo menos no mercado nacional, os 3 aparelhos estarão bem caros).


Acer Liquid Jade 2

A Acer apresentou um aparelho com configurações consideradas "defasadas" para fãs de tecnologia, mas não deixam de ser interessantes para o usuário comum

Acer Liquid Jade 2 MORE PICTURES
  • Sistema operacional: Android Marshmallow
  • Tela: 5,5 polegadas
  • Resolução: 1920x1080 pixels
  • Processador: Qualcomm Snapdragon 808
  • Memória RAM: 3GB
  • Memória de armazenamento: 32 GB + 1 TB (nuvem)
  • Câmera traseira: 21 MP
  • Câmera frontal: 8 MP
  • Sistema: Android 6.0 (Marshmallow)

Perto do que outras empresas apresentaram, o aparelho da Acer entra naquele estranho vale, onde ele é bom e apresenta um hardware de respeito e possivelmente bem fluido, mas não trás nenhum diferencial que o faz destacar perante aos topos de linha das outras empresas. Nem mesmo seu design tem algum diferencial que o destaca na prateleira, talvez o custo/beneficio ele consiga seu lugar ao sol ou o consumidor de notebooks Acer queira também ter um Smartphone da empresa.


Lenovo Viber K5 e K5 Plus
  • Sistema operacional: Android Lollipop 5.1
  • Tela: 5 polegadas
  • Resolução: 720p (Vibe K5)/ 1080p (Vike K5 Plus)
  • Chipset: Snapdragon 415 (K5)/ Snapdragon 616 (K5 Plus)
  • Memória RAM: 2 GB
  • Armazenamento interno: 16 GB (expansível com cartões micro SD)
  • Câmera principal: 16 megapixels
  • Câmera frontal: 5 megapixels com foco fixo
  • Bateria: 2.750 mAh (substituível pelo usuário)
  • Extras: sistema Dual SIM e conectividade LTE

Os dois aparelhos possuem o mesmo design, diferenciando apenas por diferenças internas. Ambos são aparelhos que miram os intermediários com boas configurações para o usuário menos antenado em tecnologia. É um aparelho que apostou mais na beleza para atrair consumidores que não estão atrás de potência, apenas algo bom e que seja bonito.

____
Sites consultados e de onde tirei as configurações e imagens dos aparelhos:




domingo, 21 de fevereiro de 2016

Resumo do que Gostei da MWC 2016 - 1º dia

Aqui segue o que achei, em poucas palavras, o que achei dos principais produtos apresentados da feira:

Alcatel Idol 4 e Idol 4S

Idol 4
- Tela 5,2 polegadas com resolução de 1080 x 1920 (Full HD)
- Chipset Qualcomm Snapdragon 617 (quad-core 1.7 GHz Cortex-A53 & quad-core 1.2 GHz Cortex-A53).
- 3GB de memória RAM
- 16GB de espaço para armazenamento interno, expansível via cartão microSD
- Bateria de 2610 mAh
- Câmera traseira de 13 megapixels com dual-LED flash e frontal de 8 megapixels com Led Flash
- Botão "Boom" que desempenha diversas funções
- Dimensões de 149,4 x 73,9 x 8,2 mm
- Android 6.0.1 Marshmallow
- Preço internacional US$ 280
Idol 4S
- Tela 5,5 polegadas com qualidade Quad HD
- Chipset Qualcomm Snapdragon 652 (quad-core 1.8 GHz Cortex-A72 and quad-core 1.4 GHz Cortex-A53).
- 3GB de memória RAM
- 32GB de espaço para armazenamento interno, expansível via cartão microSD
- Bateria de 3000mAh
- Câmera traseira de 16 megapixels com dual-LED flash e frontal de 8 megapixels com Led Flash.
- Botão "Boom" que desempenha diversas funções
- Dimensões de 149,4 x 73,9 x 8,2 mm
- Peso de 149 gramas
- Android 6.0.1 Marshmallow
- Preço internacional US$ 400 ou 500

Gostei que a Alcatel não apelou para grandes configurações, preferindo colocar processadores Snapdragon 6XX, que já apresentam bom poder de processamento e um menor consumo de energia. O Botão Boom é uma bela evolução do "botão dedicado para câmera", que além de se usar para ativar e tirar fotos com a câmera do aparelho permite aplicações diferentes dependendo do aplicativo aberto, como um nitro no jogo Sphalt 8 ou um criador de colagens de fotos da galeria de imagens do aparelho. Outro recurso bacana é a própria caixa do aparelho, que pode virar uma espécie de VR de realidade aumentada para aclopar o Smartphone nele e colocar no rosto, foi uma ideia bem bacana para aproveitar tudo mesmo que vem na compra. Claro que não podemos esquecer do recurso de atender o celular de qualquer lado, que já era presente na versão anterior destes aparelhos.

Apesar dos recursos novos e interessantes, vejo esses aparelhos da Alcatel focados no consumidor final e não apenas em fãs de tecnologia que anseiam novos recursos e funções e recursos avançados além do melhor poder de processamento e qualidade de fotos. As configurações do aparelho são interessantes e trazem o que um consumidor médio precisa no dia-a-dia.


LG G5


Um aparelho que surpreendeu pela adoção do corpo metálico e ainda poder tirar a bateria. O ponto forte da apresentação foi a introdução de diversos acessórios que podem ser usados junto ao aparelho, como módulo de câmera, controle para drones, conexão com um robola (robo em forma de bola), caixas de som entre outros. Além disso o aparelho terá um função de ter a tela sempre ligada para ficar informando as horas e outras pequenas notificações, mas essa função irá gastar bem pouca energia do aparelho, cerca de 0,8% da bateria por hora.

O Aparelho base da LG (sem os acessórios) tem as seguintes configurações:

- Tela IPS LCD de 5,6 polegadas com resolução Quad HD (1440 x 2560 pixels)
- Chipset Qualcomm Snapdragon 820 64-bit de quatro núcleos a 2.2GHz e GPU Adreno 530
- 4GB de memória RAM
- 32GB de espaço para armazenamento interno, expansível via cartão microSD
- Câmera traseira com módulos de 16MP e 8MP e frontal de 8 megapixels
- Leitor biométrico para leitura de impressões digitais
- Dimensões de 149,4 x 73,9 x 8,2 mm
- Android 6.0.1 Marshmallow com nova interface customizada pela LG

A LG resolveu transformar o seu topo de linha em um laboratório de novas tecnologias de vez e parece ter o focado para quem gosta de tecnologia e gosta de experimentar novas tecnologias e formas de fazer as coisas. Apesar do aparelho base ser interessante, ficou mais claro que a empresa quer que ele seja apenas o chamariz de quem gosta de fuçar em coisas eletrônicas e vai buscar lucrar mais vendendo os acessórios do aparelho.


Huawei Matebook

Aparelho interessante apresentado pela Huawei, um notebook hibrido no melhor estilo Surface Book com caneta stylus e tudo mais, focado em produtividade. As principais configurações do aparelho:

- Processador Intel Core M (M3, M5 ou M7, dependendo da versão escolhida)
- 4 ou 8 GB de RAM
- 128, 256 ou 512 GB de armazenamento SSD
- Possui conexões USB Type-C, HDMI, VGA, duas entradas USB 3.0 Type-A e uma entrada LAN, além de um leitor de digitais (no Mate Dock vendido separadamente)
- bateria de 4430mAh, que pode chegar a 10 horas de uso.
- tela de 12 polegadas Quad-HD
- Preço US$ 699 na versão mais básica e US$ 1.599 na mais completa.
- Acessórios: Teclado (US$ 129); Caneta (US$ 59); Dock (US$ 89)

O aparelho possui configurações bem interessantes. Apesar de não ter apelado para a linha de processadores i3, i5 e i7 da item, a linha M possui a vantagem de esquentar menos, assim não necessitando de ventoinhas, além de uma maior economia, podendo sim durar um bom tempo apenas na bateria. Ainda é um aparelho caro tanto para o padrão brasileiro quando americano, mas é uma tecnologia de nicho que deve se popularizar mais nos próximos anos.

ZTE Blade V7 e V7 Lite

Blade V7
- Tela 2.5D de 5,2 polegadas com resolução Full HD (1080 x 1920 pixels)
- Chipset MediaTek MT6753 64-bit octa core com clock máximo em 1,3GHz
- GPU ARM Mali-T220
- 2GB de RAM
- 16GB de espaço para armazenamento interno, expansível via cartão microSD
- Câmera principal de 13 megapixels com PDAF
- Câmera frontal de 5 megapixels
- Bateria de 2.500mAh
- 4G LTE+
- Controle por gestos com o Smart Sense
- Android 6.0 Marshmallow

Blade V7 Lite

- Tela 2.5D de 5 polegadas com resolução HD (720 x 1280 pixels)
- Chipset MediaTek MT6735P 64-bit quad core com clock máximo em 1,3GHz
- GPU ARM Mali-T220
- 2GB de RAM
- 16GB de espaço para armazenamento interno, expansível via cartão microSD
- Câmera principal de 8 megapixels
- Câmera frontal de 5 megapixels
- Bateria de 2.500mAh
- 4G LTE
- Controle por gestos com o Smart Sense
- Android 6.0 Marshmallow

Ambos são aparelhos com boas configurações e devem atender muito bem o usuário médio. Não trás nada surpreendente e não tenta reinventar o segmento, apenas trás o que o usuário main stream busca em um aparelho, com algumas diferenças pontuais para também ter suas diferenças.


HP Elite X3

Um grande Phablet da HP com Windows 10 Mobile de fábrica com um poderoso hardware que pode ser conferido abaixo:

- Tela de 5,96 polegadas com resolução Quad HD (1440 x 2560 pixels)
- Processador Qualcomm Snapdragon 820 de quatro núcleos a 2,2GHz e GPU Adreno 530
- 4 GB de memória RAM
- 64 GB de espaço para armazenamento interno, expansível via cartão microSD de até 200 GB
- USB 3.0 Type-C
- Reconhecimento biométrico com leitor de íris e de impressão digital para o Windows Hello
- Suporte ao Modo Continuum
- Câmera traseira de 16 megapixels e frontal de 8 megapixels
- Resistência à água e poeira categoria IP67
- Dual SIM 4G LTE
- Botões do sistema virtualizados
- Bateria com suporte ao carregamento rápido e carregamento sem fio (do tipo Qi)
- Sistema Operacional Windows 10 Mobile

Esse aparelho da HP se destaca por sua grande versatilidade, e sua promoção foi feito em cima disto, mostrando o aparelho sendo usado como pc no modo continum, como phablet e como Smartphone. O recurso de usar aplicações desktop via nuvem também foi algo bem criativo feito pela HP, enquanto a Microsoft não desenvolve uma solução nativa para seu sistema. Talvez muitos possam ver este aparelho como um Pato, que nada, corre e voa, mas não faz nenhum destes muito bem. Eu vejo como um passo importante pelo caminho que a Microsoft quer levar seu sistema operacional e uma forma da HP de se diferenciar dos seus concorrentes e se destacar no mundo mobile.



Samsung Galaxy S7 e S7 Edge

Galaxy S7
  • Tela Super AMOLED de 5,1 polegadas com resolução Quad HD (1440 x 2560 pixels) e tecnologia para reconhecimento de pressão exercida pelo usuário
  • Chipset SAMSUNG Exynos 8890 (oito núcleos) ou Qualcomm Snapdragon 820 (quatro núcleos)
  • GPU ARM Mali-T880 MP14 ou Adreno 530
  • 4GB de memória RAM LPDDR4
  • 32/64/128GB de espaço interno para armazenamento com slot para expansão via cartão microSD
  • Câmera principal BRITECELL de 12 megapixels com abertura f/1.7, sensor de 1/2.5" e estabilização óptica de imagens
  • Câmera frontal de 5 megapixels com abertura f/1.7 e lentes grande-angulares
  • Leitor de impressões digitais
  • Corpo protegido por Corning Gorilla Glass 4 nas partes frontal e traseira
  • Bateria de 3.000mAh com carregamento rápido e wireless
  • Certificação IP68 para resistência à água
  • Dimensões de 142.4 x 69.6 x 7.9 mm e 152 gramas
  • Sistema operacional Android 6.0 Marshmallow com nova interface TouchWiz
  • Preço US$ 649 (32GB)
Galaxy S7 Edge
  • Tela Super AMOLED de 5,5 polegadas com resolução Quad HD (1440 x 2560 pixels) e 534ppi
  • Chipset SAMSUNG Exynos 8890 (oito núcleos) ou Qualcomm Snapdragon 820 (quatro núcleos)
  • GPU ARM Mali-T880 MP14 ou Adreno 530
  • 4GB de memória RAM LPDDR4
  • 32/64GB de espaço interno para armazenamento com slot para expansão via cartão microSD de até 2TB
  • Câmera principal BRITECELL de 12 megapixels com abertura f/1.7, sensor de 1/2.5" e estabilização óptica de imagens
  • Câmera frontal de 8 megapixels com abertura f/1.7 e lentes grande-angulares
  • Leitor de impressões digitais
  • Corpo protegido por Corning Gorilla Glass 4 nas partes frontal e traseira
  • Bateria de 3.600mAh
  • WiFi 801.11 a/b/g/n/ac (2.4/5GHz), MIMO, Bluetooth 4.2 LE, ANT+, USB 2.0 e NFC
  • Certificação IP68 para resistência à água e poeira
  • Sistema operacional Android 6.0 Marshmallow com a nova interface TouchWiz
  • Preço US$ 799 (32GB)

Enfim os novos topo de linha da Samsung foram apresentados e ao contrário do que se esperava, não teve uma nova mudança brusca do design, pelo contrário, praticamente se manteve o mesmo formato dos aparelhos do ano passado. O que foi mudado é seu interior que sofreu um grande update e implementação de recursos de seu concorrente (force touch), além de voltar com recursos que já existiam no Galaxy S5 mas que misteriosamente a Samsung tinha tirado no S6 (Entrada Micro SD e resistência a água e poeira). Além disso o Samsung Pay será ampliado e foi divulgado a lista de instituições financeiras brasileiras que farão parte.
Não vejo como negativo manter o mesmo design por 2 anos como a Apple faz, pelo contrário, é muito bom para as pessoas criarem uma imagem de empresa estável e com uma imagem mais forte que fixa na mente das pessoas, assim como os Iphones. Outro lado positivo em manter o mesmo formato é para os fabricantes de acessórios e o aproveitamento de acessórios da linha passada que podem ser usados por mais um ano.

A propósito, ao contrário da LG que lançou diversos acessórios compatíveis com seu topo de linha, a Samsung lançou apenas alguns, como a câmera 360º e o VR, sendo mais conservadora do que sua conterrânea neste quesito, mostrando que está calculando mais seus tiros e não sendo uma louca que disparava para todo o lado as novas tecnologias que desenvolvia.



As imagens para esta postagem eu peguei de www.gsmarena.com e do material de divulgação das fabricantes.
As especificações dos aparelhos eu pequei do site www.tudocelular.com e de materiais de divulgação das fabricantes.